Recarga de Extintores em SP

A Evolução das Normas ABNT Referente a Extintores de Incêndio

By 04/11/2020Prevenção

Quando as primeiras normas ABNT, referentes à fabricação de extintores de incêndio, começaram a ser elaboradas na década de 1960, basicamente possuíam três ou quatro páginas.

Àquela época, elas se preocupavam com a especificação dos materiais dos componentes, a resistência, dimensões principais, quadro de instruções e a cor, fundamentalmente.

À medida que a tecnologia foi evoluindo, as normas para a fabricação de extintores de incêndio foram aderindo a esses novos requisitos, dando um salto de qualidade ao produto. Por exemplo, para a pintura que antes só era especificada a cor, de cerca de duas décadas para cá, há a preocupação com aderência, resistência à atmosfera úmida e exposição à atmosfera salina, conhecido como “Salt spray”.

Na última revisão das normas NBR 15808 e NBR 15809, para extintores portáteis e sobre rodas, respectivamente, efetuadas no ano em curso, e ainda aguardando a consulta nacional, foram introduzidos novos conceitos para detecção e mensuração dos vazamentos, colocando as normas ABNT alinhadas com normas internacionais e estrangeiras.

Outro ponto a destacar é a introdução dos extintores com carga para combater fogos de origem em óleo ou gorduras para fins de fritura, identificado como classe “k” e para metais pirofóricos, ou seja, metais que podem incendiar-se, tais como o magnésio, identificados como classe “D”.

Esses extintores já eram utilizados no mercado nacional, contudo ou eram importados ou produzidos por empresas nacionais sem o crivo normativo, envolvendo todos os riscos que produtos sem normalização podem causar.

Outra ótima notícia é que o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) do Estado de São Paulo está se preparando para efetuar os ensaios de capacidade extintora para esses novos modelos, isso fará com que os fabricantes economizem, visto que, dessa forma, será evitado o envio desses equipamentos a laboratórios fora do país, agilizando o processo de desenvolvimento, aperfeiçoamento e certificação desses modelos.

Para culminar com o pleno sucesso, a norma ABNT NBR 12963-Sistemas de proteção por extintores de incêndio já contempla as especificações para a utilização desses novos modelos, fechando o circuito da segurança contra incêndio, de forma normativa, na sua totalidade.

São Paulo, 28 de outubro de 2020

Waldir Pereira – Consultor

Leave a Reply

um × cinco =